Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Escolaridade

O rapaz está no 6º ano


A escola serve para ensinar e os pais para educar

por paranoias-de-mae, em 26.04.17

Numa das disciplinas de Educação*, tinham um trabalho de investigação para fazer em grupo. Três rapazes, todos com 11 anos. Disseram-lhes que era para fazer em Power point, mas nunca ninguém, na escola, lhes ensinou a trabalhar com o Power ponit. Os miúdos até aprendem bem as coisas relacionadas com computadores e tecnologias, mas são mais virados para os jogos, julgo eu. Logo aí se depreende, que quem não tivesse alguém que percebesse do assunto e os ajudasse, ficavam desamparados.

 

Dei umas dicas ao meu filho de como funcionava o Power point. Disse como ele tinha de pesquisar as coisas no Google, disse-lhe para não copiar e colar, mas tirar ideias e colocar palavras dele. Ele captou o essencial. O trabalho consistia em apresentar uma corrente artística do séc XX.

 

Ajudei, e depois de ver o trabalho, pensei que estava bom.

 

Contudo não imaginei, porque não foi dito, que era um trabalho muito exigente e tinha exigentes parâmetros de classificação. 

work02.JPG

Nunca ninguém lhes ensinou a fazer um índice, claro que se eu soubesse que era necessário, ter-lhes-ia ensinado, pois eles nem tinham noção. Se não forem os pais ou na explicação, não é na aula que lhe ensinam, e isso é triste...

 

Quanto a mim, o trabalho tinha introdução, apesar de não ter lá a palavra. Mas, realmente,  não fizeram conclusão.

 

E a bibliografia/webgrafia, pensam que os miúdos dessas idades e no 6º ano já sabem o que é!? O meu depois de ver o quadro, e sendo puxado a isso por mim, chegou lá. Mas também não imaginei que para um trabalho, supostamente tão simples, e a nível de 6º ano seria necessário incluir, erro meu, talvez.

 

Valeu a lição pelo que, ao menos ele agora já sabe, e na próxima, pelo menos nestes pontos, já vai estar mais preparado. Aprendeu ás custas dele, da mãe, e não foi a escola que o ensinou...

 

Será que  quando a professora deu o tema para o trabalho, não podia ter logo dado estes parâmetros de avaliação!?

 

Dizem que a escola serve para ensinar e os pais para educar, não é?

 

*Educação visual, educação tecnológica, educação física, educação musical

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


A escola de hoje

por paranoias-de-mae, em 21.11.16

vatertag-0022[1].gif

O ano passado, ele costumava ir ao refeitório da escola almoçar. Não comia muito, mas petiscava qualquer coisa. Eu sabia que ele comia pouco, ele contava-me. A comida da escola, segundo muitas opiniões, não presta. Mas os pais que tentaram reclamar, receberam a informação, que a ementa era elaborada por nutricionista, devidamente habilitados. Ou seja: nada a fazer, o que conta não é a opinião dos alunos nem dos pais, mas sim, a deles.

 

Começaram a obrigar o rapaz a comer, não o deixavam sair sem que comesse tudo, incluindo sopa, e ele não come sopa. Não adianta, ele não come sopa, apenas come canja. Ele ficava sozinho numa mesa enquanto os colegas iam para o intervalo. Ele começou a não querer ir, principalmente porque o obrigavam a comer sopa.

 

Um dia o pai disse para ele dizer ás senhoras auxiliares,  que os pais sabiam que ele comia pouco, mas que se fosse preciso o pai ia lá explicar isso ás senhoras.

 

Ele transmitiu o recado a uma auxiliar, que o tomou como uma ameaça. Fez uma participação dele, disse que o rapaz a ameaçou dizendo que o pai ia lá "tratar dela". Levaram o rapaz a conselho de não sei o quê. Quando o fui buscar vinha lavado em lágrimas. Disse-me que parecia que estava num tribunal (ele nunca esteve num, mas viu em filme), faziam perguntas e  acusavam-no de ameaças e ele sem perceber nada, porque ele é ingénuo demais para isso.

 

Tive vontade de ir lá falar com essa senhora, cuja vocação para trabalhar e entender  crianças deve ser nula. Arrependo-me de não ter feito eu uma participação dela.

 

Solução: ele já não vai ao refeitório, leva sandes, é o almoço dele. Graças às senhoras funcionárias, à escola, e à qualidade da comida, o meu filho anda a sandes!

 

Este ano, porque tinha de apresentar um trabalho oralmente, e ele atrapalha-se todo com o falar em público, teve um bloqueio e pouco falou, e o que disse, não foi nada de jeito, teve um zero e um recado  na caderneta. Já estou a resolver o caso, uma vez que ninguém nasce ensinado e ninguém lhe ensinou como falar e apresentar em público, eu já arranjei um professor particular para o ajudar nesse sentido.

 

Dizem muitas coisas da escola, que os alunos não respeitam  professores nem funcionários...mas e os professores e funcionários respeitam os alunos!? Ou será que, porque há muitos alunos mal educados e mal intencionados, o melhor é colocá-los todos no mesmo saco!?

classe.gif

Autoria e outros dados (tags, etc)


Testes diagnósticos na primeira aula

por paranoias-de-mae, em 19.09.16

Mas é possível que logo na aula de apresentação, darem um teste diagnóstico? Mas será que os professores não se dão conta que os miúdos precisam de uns dias para se voltarem a habituar, para voltarem à rotina? Até para o organismo se habituar a novos horários. É preciso logo esta pressa, esta pressão!? Não se tocam que as férias foram longas e que é preciso tempo!? São apenas crianças de 11 anos, e nas férias dedicaram-se mais á brincadeira do que ao estudo!? Da minha parte, já conseguiram que o puto apanhasse uma camada de nervos e de dor de barriga...cheio de medo de errar e não saber fazer as coisas e sem vontade de ir à escola, quando ele sempre foi com ânimo.

 

Pelo menos podiam dar uma semana, antes de começarem logo com os testes. Que violência! Que ignorância! Nem fazem ideia com o rapaz chegou a casa, momentos após os testes.

 

setrimage12365.jpg

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Professores que desmotivam

por paranoias-de-mae, em 03.09.16

Alfabetizacion2[1].jpg

Há coisas que me deixam triste. O meu filho no 1º ciclo gostava além de ciências, imenso de história, a professora cativava-o com as lutas  e batalhas nas conquistas. Quando chegou ao 5º ano no primeiro período teve 4, mas depois começou a desmotivar. A professora, segundo eles grita muito, chama-os de burros... isso desmotivou-o e ele perdeu o interesse pela disciplina. E como sabe que este ano vai continuar com ela, anda todo desanimado.

 

Numa reunião nós, os  encarregados de educação, chegamos a falar do assunto com a diretora de turma, mas esta, tal como era esperar, defendeu a outra, e disse que que nós pais temos de os ajudar e não concordar com eles (os alunos).

 

Não há nada a fazer, esta professora de história  já está na escola há anos, tem a sua fama, já tentaram mudar as coisas, mas não se conseguiu.

 

Resta-me resignar-me e pronto, mas lamento tanto que seja assim!

Autoria e outros dados (tags, etc)


As faltas dos professores

por paranoias-de-mae, em 12.01.16

Não sei o que se passou com os professores durante as férias. No primeiro período nunca faltaram, agora no segundo período, estão sempre a faltar!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Os professores gritam muito

por paranoias-de-mae, em 18.11.15

O meu filho teve no jardim de infância uma Educadora, super calma, doce, posso ate dizer, que tinha um ar angelical. Ele gostava (e gosta) imenso dela! Depois no 1º ciclo, também teve uma professora calma, que raramente lhe levantava a voz, porque certamente sabia controlá-los bem. Ele era fã, gostava imenso da professora!

 

Agora tem muitos mais professores, mas tem daqueles que gritam muito. Talvez por ele não estar habituado a isso, estranhou muito. E noto que isso o prejudica na aprendizagem, pois deixa-o inquieto!

 

Será que é preciso tanto grito para impor o respeito!?

gritos[1].jpg

Autoria e outros dados (tags, etc)


Do inglês

por paranoias-de-mae, em 12.11.15

Arrependo-me de não ter posto o meu filho logo desde o 1º ano numa escola de inglês, como tantos pais fizeram. Ele chegou ao 5º ano sem bases nenhumas, mas como a maioria dos seus colegas já tinha as bases, a professora vai prosseguindo com os que a acompanham e os outros, incluindo o meu filho, estão a ficar para trás!

Autoria e outros dados (tags, etc)


Quando uma professora não gosta de um aluno

por paranoias-de-mae, em 30.09.14

O meu menino sempre foi para a escola como quem vai para uma festa! Alegre e bem disposto! Houve um dia em que ele não queria ir. Estranhei imenso. Perguntei o porquê, se alguém lhe tinha batido ou feito algum mal, ele disse que não, apenas queria ficar em casa naquele dia.

 

Nesse dia fiquei preocupada. Andei o dia todo angustiada a pensar no que se teria passado. No mesmo dia, quando o fui buscar, perguntei, como sempre faço, se o dia dele tinha corrido bem. Foi aí que ele desabafou. Contou-me que a professora de uma disciplina das AEC'S era a mesma que já tinha tido no 2º ano e que ela não gostava dele, aliás, disse até "ela odeia-me mãe". Logo no primeiro dia, quando ele estava a coçar no nariz começou, segundo ele, a gritar com ele e a dizer que ele estava com o dedo no nariz! Mesmo que fosse, acho que também não era preciso gritar-lhe.

 

Recordo-me que no 2º ano, por causa dessa professora, ele ficava sempre muito ansioso e pedia para o ir buscar mais cedo.

 

Tive a explicar-lhe que na vida dele escolar, nem sempre vai gostar de todos os professores e que ele tem de se aguentar e não dar motivo à professora para ela ralhar com ele, mas ele acha que a professora grita mesmo que ele não faça nada. Acho que ele se sente humilhado por ela.

 

Não sei o que fazer. Se vou à escola falar com alguém; se deixo passar um tempo para ver no que dá; se tento ir buscá-lo mais cedo uma vez que não é disciplina obrigatória. Mas o meu horário nem sempre se ajusta para o conseguir...

 

Alguém já passou por algo parecido?

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Contas de somar

por paranoias-de-mae, em 17.03.12

Ainda não percebi muito bem, porque é que agora, na matemática e no primeiro ano, as contas não são postas de pé, como eram no meu tempo. Pois era mais fácil eu explicá-las ao meu filho, com os pauzinhos ao lado. Agora as contas de somar, chamão-se " decompor números" e ficam deitadas.

 

Este é um exemplo simples, mas por vezes o número a decompor é o 15 e tem de ser decomposto em várias partes, do tipo: 15= 6+3+1+3+2. Não era mais fácil da forma tradicional? Se acham que estou errada, ajudem-me a perceber isto melhor!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Mais sobre mim

foto do autor


Calendário

Junho 2017

D S T Q Q S S
123
45678910
11121314151617
18192021222324
252627282930

Pesquisar

  Pesquisar no Blog



Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D